O projeto de ensino, pesquisa e extensão Laboratório Poético iniciou suas atividades em 2017 e atua com quatro propostas de aproximação com a comunidade em geral, visando uma reflexão sobre a construção da cidade e seus espaços a partir da prática artística e da pesquisa bibliográfica, empírica e audiovisual.  saiba mais 
poesia: elogio aos pés

Porque suportam todo o peso
Porque sabem se manter sobre apoios e pilares mínimos
Porque sabem correr sobre recifes, e que nem mesmo os cavalos fazem
Porque nos levam embora
Porque são a parte mais aprisionada de um corpo encarcerado.
E quem sai depois de muitos anos deve novamente aprender a caminhar em linha reta
Porque sabem saltar, e não é culpa deles se, mais acima no esqueleto, não há asas
Porque descalços são belos
Porque sabem plantar-se no meio da rua como mulas e funcionar como cerca viva diante do portão de uma fábrica
Porque sabem jogar bola e nadar
Porque, para qualquer povo prático, eram unidade de medida
Porque os das mulheres douravam nos versos de Pushkin
Porque os antigos os amavam e como primeira demonstração de hospitalidade lavavam os dos viajantes
Porque sabem orar balançando-se diante de um muro ou curvados atrás de um genuflexório
Porque jamais entenderei como podem correr confiando em um único apoio
Porque são alegres e sabem dançar um maravilhosos tango, o crocante sapateado, a rufiona tarantela
Porque não sabem fungar e não impunham armas
Porque foram crucificados
Porque, até quando se quer alojá-los nos fundilhos de alguém, surge o escrúpulo de que o alvo pode não merecer tal suporte
Porque, como as cabras amam o sal
Porque não têm pressa de nascer, mas, depois, quando chega a hora de morrer, em nome do corpo saem aos pontapés contra a morte.

Erri De Luca

O trabalho Narrativas Poéticas na Cidade do Laboratório Poético recebeu Menção Honrosa na 9ª edição da Semana de Integração Acadêmica da UFRJ (SIAc). Felipe Pitzer e Pérola Quirino apresentaram o filme Pulso Fluxo, que aborda os variados olhares sobre o espaço urbano, comuma reflexão sobre a região central do Rio de Janeiro, tão significativa em ações políticas e acúmulos de camadas de memória. O trabalho teve orientação das professoras Marilane Abreu Santos e Anna Thereza do Valle Bezerra de Menezes. A SIAc ocorre anualmente na UFRJ, contando com a participação ativa da comunidade acadêmica. No ano anterior, em 2017, o Laboratório Poético participou da SIAc com o trabalho O Invisível na Cidade: O Projeto Em Trânsito nos Museus, de autoria de Ana Katharina Essus e Felipe Pitzer.


Em 2017 realizamos duas visitas mediadas ao Centro do Rio, onde discutimos os questionamentos levantados pela pesquisa, além de contribuições dos participantes. Cada visita percorreu um percurso: Morro do Castelo e Avenida Central, e, partindo da análise de duas grandes reformas urbanas, conseguimos perceber as mudanças e permanências nas práticas políticas e sociais presentes na cidade. Acesse o material guia para as visitas avenida centra e  morro do castelo .
Template developed by Confluent Forms LLC; more resources at BlogXpertise